Nutrição Vegetal

As plantas retiram da natureza os nutrientes para compor seu ciclo vital, sendo eles orgânicos, como o Carbono (C), o Oxigênio (O) e o Hidrogênio (H); e minerais. Estes, por sua vez, são divididos pelo aspecto quantitativo em dois grupos: o primeiro - os macronutrientes - representados por Nitrogênio (N), Fósforo (P), Potássio (K), Cálcio (Ca), Magnésio (Mg) e Enxofre (S). O segundo – os micronutrientes - representados por Boro (B), Cloro (Cl), Cobre (Cu), Ferro (Fe), Manganês (Mn), Molibdênio (Mo), Níquel (Ni) e Zinco (Zn). Assim, completam a lista dos elementos considerados essenciais para o desenvolvimento vegetal.

Lembrando que para qualquer elemento químico ser considerado um nutriente ele precisa se encaixar nos três critérios de essencialidade proposto por Arnon & Stout em 1939, que são:

  1. a) A ausência do elemento impede que a planta complete seu ciclo;
  2. b) A deficiência do elemento é específica, podendo ser prevenida ou corrigida somente mediante seu fornecimento;
  3. c) O elemento deve estar diretamente envolvido na nutrição da planta, sendo que sua ação não pode decorrer de correção eventual de condições químicas ou microbiológicas desfavoráveis do solo ou do meio de cultura, ou seja, por ação indireta.